terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Código Da Vinci (Madalena, o Anjo Caído)



Tanta confusão somente porque Madalena teria sido a esposa do Cristo!?
"Um segredo que se revelado, destruiria os próprios alicerces da humanidade"?
Como ficção é interessante, mas como suposta verdade é ingênuo. Dan Brown ficou rico com sua ficção interessante mas não como revelador de verdades ocultas.
--------------------------------
Este video de lançamento do filme tem 1 minuto e 52 segundos:
1+5+2 = 8
O nome MADALENA tem 8 letras (!)
No evangelho de Lucas Maria Madalena é mencionada pela primeira vez no capítulo oito (8).

Aos 8 (oito) segundos do vídeo começa a se delinear a figura de Gioconda.

Aos 13 (treze) segundos aparece Lucifera, o símbolo da Columbia pictures.
o nome "Maria Madalena" tem 13 letras.

Aos 27 segundos um homem aparece morto na forma do pentagrama de Da Vinci.
Observando o céu e anotando a posição do planeta Vênus durante 8 (oito) anos, o traçado do chamado "período sinódico" da estrela da manhã forma um Pentagrama.
O planeta Vênus, na Roma antiga, chamava-se Lucifer.

A palavra "Lucifer/Estrela da manhã" aparece na bíblia primeiro em Isaias 14;12
referindo-se a uma potestade caída: (1+4+1+2 = 8 ).
Em apocalípse 22;16 Jesus também se chama "Estrela da Manhã/Lucifer"), mas no sentido de astro que anúncia um novo dia - Vênus aparece no céu pouco antes do Sol.

Madalena é comemorada pelo catolicismo no dia 22 de julho, data que coincide com o capitulo 22, vers 16 de apocalípse:

Apocalipse 22;16 (1+6 =7)

Data festiva de Madalena: 22, 07

O filme foi lançado em 2006

2+0+0+6 = 8

Será Maria Madalena, não a esposa do Cristo, e sim o Anjo Caído?

Os dois Luciferes, do Antigo e do Novo Testamento, terão se encontrado?

----------------------------------------­--------

A fantasia é um mundo à parte, muitas vezes construído sobre os escombros da verdade.

A verdade geralmente não é muito interessante.

Segundo o livro "O código Da Vinci", no quadro "Santa Ceia" de Leonardo Da Vinci, o personagem que seria João evangelista, é na "verdade" Maria Madalena; ela está curvando a cabeça enquanto Pedro sussurra no ouvido dela, e com um gesto de mão, ameaça cortar-lhe a cabeça.
É interessante lembrar que tal quadro foi pintado por Leonardo em Milão entre 1495 e 1497 (wikipedia), os anos em que Carlos VIII, rei de França, passou em Nápoles, como rei (invasor) de Nápoles.
Leonardo Da Vinci foi um dos artistas mais extraordinários do Renascimento.
De volta para Amboise, Carlos VIII levou consigo obras de arte italianas, introduzindo o Renascimento em França (Wikipedia).

Carlos foi assassinado em Amboise, em 1498; (não foi acidente!)

Leonardo Da Vinci, que era italiano, morreu em 2 de maio de 1519, em Amboise (a cidade de Carlos VIII), onde foi morar como protegido de Francisco I.

É interessante lembrar tambem que neste quadro "Santa Ceia", entre a suposta Maria Madalena, curvada para a esquerda, e Jesus de Nazaré, curvado para a direita, se forma claramente uma letra "V", V de Valois, o sobrenome de Carlos VIII: Carlos Valois VIII.

----------------------------------------­---------

Maria Madalena é aquela figura perfeita: ou "esposa" do próprio Cristo ou uma cortesã rica que de uma hora para outra foi vista seguindo Jesus.

Na verdade, apenas uma mulher muito infeliz; dela Jesus teria tirado 7 demônios (lembrando também que "7 demônios" era um código que significava "prostituta" entre os judeus da época de Jesus) - era esta a esposa do Cristo?
Quando lemos os evangelhos, podemos talvez notar que Madalena era alguém muito doente ou marginalizado - amparada pelo Cristo, passou a orbitá-lo, certamente por se sentir segura em Sua presença. - Ela não era perfeita!
A suposta perfeição de um ídolo é importante para movermos o mundo de fantasias de um determinado credo -- um ídolo tem que ser perfeito.

O fundador do Divinismo, Osvaldo Polidoro, "era" a reencarnação de todos os grandes mestres da humanidade, e ao desencarnar, "deificou-se", ou seja: virou Deus (!)

Para a reencarnação da Madalena nós temos que arrumar alguém interessante, do ponto de vista de nossa formação católica.

Na relação de santas da igreja católica, podemos encontrar Joana de Valois, ou Santa Joana de França. Filha do rei de França Luis XI, ela nasceu em 1464 e morreu em 1505. Foi beatificada por Bento XIV em 18 de junho de 1742 e depois canonizada por Pio XII em 1950.

Se publicarmos artigos no Movimento Espírita afirmando que Joana de Valois era Maria de Magdala renascida na França do século XV, seria fácil fazer muitas pessoas acreditarem.

Seria interessante, mas não seria verdade!

Mas se publicarmos que o irmão dela, Carlos VIII, era a Madalena reencarnada, difícil seria convencer a maioria das pessoas. Precisamos de perfeitos e não de um rei pouco conhecido no Brasil e que inventou uma guerra desnecessária contra a Itália apenas para sentar no trono de Nápoles.

Não seria interessante, mas seria verdade!


Dan Brown, com sua ficção interessante onde Pedro quer cortar a cabeça de Madalena - que era a "esposa" de Jesus -, ganhou um bom dinheiro e comprou um castelo, pena que não tenha sido o de Amboise, talvez por não estar à venda.

Mas qualquer castelo, por menor que fosse, já seria bem melhor que nada quando a intenção é imitar, o mais próximo possível , o ídolo Maria Madalena.

-----------------------
Atenção: A Wikipedia em português comete um erro na biografia de Santa Joana de Valois; no primeiro parágrafo diz que ela era irmã de Carlos VII (o rei coroado por Joana de Arc, pai de Luiz XI). Ela era neta de Carlos VII, e não irmã! Porém, no terceiro parágrafo o erro é corrigido, mencionando Carlos VIII. A biografia de Luix XI (filho de Carlos VII), na wikipédia, também corrige o equívoco, colocando Joana de Valois e Carlos VIII como seus filhos, portanto, irmãos.

Um comentário: