sábado, 30 de outubro de 2010

Boff & Dilma

Mais uma estrela brilha para o PT:

Boff apoia Dilma:


A teologia Boffiana encontra agora o reinado Lulístico! O teólogo Leonardo Boff espera assim que sua inesquecível Igreja Romana finalmente assuma aquilo que de fato é por debaixo de todos os panos e hábitos religiosos (ver foto abaixo), trazendo de volta os fieis que debandaram para a bandalheira pentecostal.


Vote 13 !!!!
(O número do azar)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Mais uma de freiras


Um comboio bate com uma camioneta cheia de freiras e todas morrem.
Chegam ao céu e todas tentam entrar. São Pedro está na porta e diz:
- Tenham calma, tenham calma, não podem entrar assim. Para poder
entrar façam uma fila e respondam à minha pergunta: Você, Irmã Maria,
alguma vez tocou num pénis?
- Foi só uma vez São Pedro , e só lhe toquei com a ponta do meu dedo mindinho.
- Muito bem Irmã Maria, tem de meter seu dedo nesta água benta e
depois pode entrar.
Você Irmã Celeste, alguma vez tocou num pénis?
- Foi só uma vez São Pedro e só foi com a mão esquerda.
- Muito bem Irmã Celeste, tem de meter sua mão nesta água benta e
depois pode entrar.
Logo na fila começa uma desordem porque uma das freiras que estava no
fim da fila empurra as outras e chega à frente...
- Minha filha, tem paciência, porque empurras e não esperas pela tua vez?
- Oh meu Senhor São Pedro , é que eu tenho de bochechar antes que
Irmã Margarida meta o cú na água!
-----------------------------------------------

Black Eyed Peas em Recife (17 de outubro de 2010)



http://www.youtube.com/watch?v=6C6o2bHVwU0

terça-feira, 19 de outubro de 2010

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Um poema de Safo


Encontrei este fragmento de Safo na Wikipedia:
(...sua poesia, devido ao conteúdo erótico, sofreu censura na Idade Média por parte dos monges copistas, e o que restou de sua obra foram escassos fragmentos - Wikipedia).

"Semelhante aos deuses parece-me que há de ser o feliz
mancebo que, sentado à tua frente, ou ao teu lado,
te contemple e, em silêncio, te ouça a argêntea voz
e o riso abafado do amor. Oh, isso - isso só - é bastante
para ferir-me o perturbado coração, fazendo-o tremer
dentro do meu peito!
Pois basta que, por um instante, eu te veja
para que, como por magia, minha voz emudeça;
sim, basta isso, para que minha língua se paralise,
e eu sinta sob a carne impalpável fogo
a incendiar-me as entranhas.
Meus olhos ficam cegos e um fragor de ondas
soa-me aos ouvidos;
o suor desce-me em rios pelo corpo, um tremor (...)


http://pt.wikipedia.org/wiki/Safo

A Harpa

A Harpa.

"Entramos. Ambiente simples e acolhedor. Móveis quase idênticos aos terrestres; objetos em geral, demonstrando pequeninas variantes. Quadros de sublime significação espiritual, um piano de notáveis proporções, descansando sobre ele grande harpa talhada em linhas nobres e delicadas."
("Nosso Lar" - André Luiz - Cap. 17)


Retorno ao Nosso Lar,
Volto à infância, venho em visita ao passado!
Encontro ainda a mobília simples
E quadros na parede parecendo janelas,
Abertas à paisagens divinas - parecem inundar de luz o ambiente.
Há também um piano, e sobre ele, uma harpa.
Instrumento atemporal - presença incômoda
- me Leva de volta à uma época ainda mais distante,
- ainda mais recuada !
Lembranças adormecidas na minha casa mental!

Tenho medo de tanger a harpa !
Fazendo vibrar suas cordas
poderei ouvir um som que me faça tremer
E recordar qualquer coisa longínqua
Mescla de pesadelo e doce sonho.
Tenho medo de recordar caminhos esquecidos,
no som de um instrumento que não perdoa passados,
Qualquer coisa de escuros passados !

Alma culpada,
Temo que meu passado se exponha como quadros na parede.
Mas, que alegria: aqui eles são, em verdade,
Imagens de caminhos abertos ao infinito.
E uma luz branda e branca
Em forma de vulto
Convida-me a seguí-la.
Será um anjo que há muito me espera?
Deus mesmo em humana silhueta?

"O passado não importa" - diz o vulto -,
"Para a alma redimida na escola do pó da carne!"

Mas ainda assim tenho medo de tanger a harpa.

Janelas abertas, quadros vivos, de luz inundando o ambiente,
Ampliando veredas para o infinito - janelas divinas !
Dentro do recinto, a mobília simples, o piano, a harpa - o passado!
Lá fora, o futuro!
Onde aquele Ser, de branda e branca luz, me sorrir, e me abre os braços amigos.



http://www.youtube.com/watch?v=EBDrIjxmKuU&feature=email&email=comment_received

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Revelação - Fagner (1979)



Revelation

A day, dressed of alive nostalgia
I Make resurrect
Houses (where I) poorly lived
Shared beds
I Make them reveal themselves.
When we try
Anyway
Of it (past) save ourselves
Feeling stranded
Dead, gagged
It comes back to bother !