quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

A moça é quente, Seu Fulano!


Eu Eu estava só no apartamento do hotel, apesar de que um cínico tentou passar a noite comigo, mas era apenas um "comedor" do tipo: "você é um guardanapo que eu vou usar e descartar depois" - o camera-man. Eu estava me sentindo estranha, deslocada, e cansada; sem vontade nenhuma para ter uma noite de intimidades com alguém que me exibiria depois como o trofeu de uma conquista efêmera.

Sei que avisaram na recepção do Hotel que eu era VIP, desta vez era VIP mesmo - "Very Important Person", não como de outra vez que fui considerada "VIP" - Vadia, interesseira, Prostituta". Desta vez VIP indiscutível: convidada de uma famosa produtora para iniciar sua carreira como diva de edições eróticas.
"A moça é quente, Seu Fulano!" Com essa frase, e umas fotos minhas, um cliente meu me recomendou para Senhor "Fulano", o Diretor da produtora. Fui tratada a "pão de ló" (muito bem), passagem aérea e hotel duas estrelas - a turma tinha dinheiro numa época em que a pirataria ainda não comandava, pois no tempo das fitas VHS já era possível a cópia pirata, mas não como hoje quando um DVD é copiado em série e colocado à venda nos camelôs.

Mas não havia muita razão para esse tratamento VIP, eu era só uma prostitutazinha de luxo, tão comum na grande cidade onde desci de avião. Do aeroporto fui direto para o escritório da produtora. Não demorou quase nada e eu já estava numa sessão de fotos profissinais completamente nua, sosinha num estúdio com um fotógrafo. Depois levaram-me para um quarto/estúdio aconchegante e fui avisada para esperar por um rapáz que improvisaria uma cena comigo.

Fiquei nervosa. Serviram me um suco de fruta e eu o esperei ridicularmente (penso eu) enrolada numa toalha.

O camera-man era co-produtor e inventou uma estória na qual o rapaz (bonito e de porte atlético) me flagrava só de toalha e me seduzia.

Fiz sexo com ele tentando não olhar para a camera.

Já de noite, o camera-man me levou para uma lanchonete e para o hotel, onde tentou passar umas horas comigo - de graça!

-"Não, não, por favor, até amanhã!"

No apartamento liguei a TV e assisti qualquer coisa. Completamente só mas com a sensação de uma presença lá dentro, ao ponto de olhar para debaixo da cama em busca de alguém. Depois, deitada, folheei uma revista... li algum artigo interessante, relaxei tentando dormir, mas sempre com a sensação da presença intangível...

...uma mulher quase vaporosa se delineou em frente da cama, e com uma voz que não era material, pois entrou em minha mente como pensamento intruso - reconheci minha avó, por parte de mãe, que havia falecido dois anos antes.

Do que ela me transmitiu, vai o que posso transcrever:

"Filha, volte! você é um espírito velho, não estacione na prostituição, deixe tudo, volte atrás, volte para seu lar, para seus pais, sua mãe está muito triste, isso não serve para seu futuro. Você mergulhou num mundo perigoso. Esses que estão lhe agenciando lhe são inferiores, são maus! Se você criar raizes com eles, afundará - é terreno movediço! e irão à sua procura quando você desistir, se desistir tardiamente, não aceitarão lhe perder, podendo até lhe perseguirem de morte. Volte atrás, volte!"

...e a visão inesquecível desintegrou-se!

Eu tinha comigo um dinheiro que me permitiu comprar uma passagem aérea no dia seguinte de volta para Recife. Quando amanheceu o dia, desci para a recepção:

-"Há alguma coisa a pagar?"

- "A senhora consumiu alguma coisa do frigobar?"

-"uma coca-cola!"

-"então é só isso, a diária está paga pela agência."

-"Virá alguém da produtora me procurando, digam a ele que desisiti, fui embora, e depois ligo me explicando. Você sabe que ônibus eu pego para o aeroporto?" (Minha bagagem era apenas uma mala pequena).

No aeroporto esperei quatro horas por um vôo, morrendo de medo que eles me procurassem por lá. Fiquei com uma impressão ruim, mas talvez minha avó e eu mesma tenhamos exagerado um pouco, mas devem ter ficado putos da vida; ficaram com imagens minhas que devem ter usado à vontade. Pelo telefone me procuraram depois com uma voz manhosa perguntando o que aconteceu que provocou meu desaparecimento.

- "Sei lá, desapareci e pronto, bye!"

Poema de Mata Hari

Poema de Mata Hari é encontrado na Holanda

HOLANDA - Um poema escrito por Mata Hari em 1888 no caderno de poesia de uma de suas colegas de classe acaba de ser encontrado em Leeuwarden (norte da Holanda), a cidade natal da dançarina fuzilada pelos franceses por espionagem a favor da Alemanha durante a Primeira Guerra Mundial. "Esse documento foi descoberto por Pieter de Hoo, sobrinho segundo de Grietje de Hoo, amiga de Mata Hari. O caderno de poesia se achava entre velhos papéis que herdou Pieter de Hoo", assinalou o serviço de arquivos da cidade de Leeuwarden. Mata Hari, cujo verdadeiro nome era Margaretha Geertruida Zelle, escreveu o poema quando tinha 12 anos. Nesse poema prega, em holandês do final do século XIX, as virtudes que deviam caracterizar a burguesia da época.
A futura Mata Hari escrevia com letra cuidada, inclinada para a direita da página, adornada com flores. Grietje de Hoo manteve uma amizade com Mata Hari até sua morte em 1904, por causa de uma pneumonia. A dançarina foi condenada a 25 de julho de 1917 pelo conselho de guerra de Paris e fuzilada a 15 de outubro desse mesmo ano. Em outubro passado, a Fundação Mata Hari e a cidade de Leeuwarden apresentaram à justiça francesa uma petição de revisão da condenação à morte da mítica espiã, alegando 'novos fatos' recentemente descobertos.

À Grietje
Para evitar os escolhos
do oceano da vida,
toma a virtude e o respeito
como capitão e timoneiro.

Quando vagares pelos mares,
que tua tripulação seja a piedade
tua bússola a liberdade,
e o valor tua âncora
e o espírito tuas velas.

Então, seja qual for a força das ondas
sempre chegarás a bom porto.

Em: "Lembrança de Margaretha Zelle", Leeuwarden 1888
Fonte: Jornal HOJE EM DIA / Belo Horizonte, Quinta-Feira 17/01/2002
Enviado por: Marlene Andrade Martins

http://www.blocosonline.com.br/literatura/servic/sercurc07.htm

(Este documento mostra que a famosa dançarina e suposta espiã, apesar de cortesã (o equivalente aproximado de prostituta de alto luxo) tinha uma alma idealista. - nota da autora do blog)

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

REFLEXÕES ESPÍRITAS SOBRE A SEXUALIDADE

"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará"
(È engraçado como essa frase dos evangelhos se presta a tantos e diferente interesses.)



Poucos anos atrás houve uma seita nos Estados Unidos onde um grupo de pessoas se diziam extra-terrestres.
Como eram alienígenas, se consideravam purinhos e superiores.
E como eram purinhos e superiores não podiam ter genitálias.
Os homens do grupo se castraram - literalmente. Sexo, nem pensar!!!!
Estavam esperando um disco voador que iria resgatá-los desse mundo de lascívias e luxúria.
...e o danado do disco voador demorou, demorou, demorou... e não veio!!!!!!!
Resultado: suicídio coletivo!!!!!!!!
Agora no Movimento Espírta Brasileiro se fala muito em sexo apenas para procriação.
Seres evoluídos supostamente não possuem apetite sexual.
Exemplo: Ghandi, o famoso hindu, chegou ao nível de poucos: nem pensava no ato (Tá doido? se pensar dá vontade).
Assim devemos trocar o ato sexual por:
- Socorro ao próximo.
- Arte superior (Concepção de superioridade na arte é coisa bem subjetiva)
- Afetividade
- Amor sem fronteiras
...e outras justificativas injustificáveis.

Socorrer o próximo, fazer arte, sentir afetividade, amar a humanidade não impede que o ser humano tenha um pouco de prazer sexual com um parceiro no mínimo uma vez por semana.
Ah, quanta hipocrisia!!!!
Vamos esperar um disco voador com as genitálias cortadas, é provável que ele ainda venha!
Mas usar de falácias para colocar falsas concepções no Espiritismo é transformá-lo em seita de alienados.
...e fazemos sexo "...muito próximo da forma com que os próprios animais o executam" segundo um hábil escritor. Às vezes é igualzinho, e daí? somos animais bípedes!
O corpo humano é uma obra de arte magnífica, e é gostoso tocar o outro e ser tocada. A cópula, acompanhada de muito carinho é insubstituível.
Só o orgulho, a presunção e a falsa superioridade são capazes de substituí-la.


http://www.scribd.com/doc/7213002/Reflexoes-Espiritas-Sobre-a-Sexualidade

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Salomão, suas 700 esposas e 300 concubinas (Mil e uma noites de suruba).

Por causa de suas orgias carnavalescas, onde predominava o sexo anal, Sodoma e Gomorra foram destruidas por Deus:

...mas o grande rei Salomão colecionou mulheres: 700 esposas princesas de reinos conquistados e 300 concubinas:

Dizem que com tantas mulheres, ainda assim ele era insaciável:


...enjoou das mulheres e acabou optando por escravos e eunucos:


Haja suruba!!!!!!!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Correspondência de Heloisa & Abelardo.

Século XII: Heloísa e Abelardo, separados pela castração. Ela tornou-se freira, ele, monge.

"Eu, infeliz e aflita entre todas as mulheres, tu levantaste-me ainda mais alto só para aumentar a minha dor na queda. Enquanto entregávamo-nos aos prazeres da luxúria, Deus fingiu não estar vendo, mais depois castigou-nos; e nem mesmo o nosso casamento abrandou a Sua cólera. O malígno sabe até bem demais como usar uma mulher para arruinar um homem. Éramos dois, a pecar, mas só tu tiveste que pagar. Agora eu também sofro. Por tempo demais entreguei-me aos prazeres da carne e este é o justo castigo. Persegue-me a lembrança. Até durante a missa, quando a oração deveria fazer-me sentir mais pura, as lembranças atormentam a minha mente, e em lugar de arrepender-me, tenho saudade daquilo que perdi. As pessoas louvam a minha castidade só porque não sabem que no fundo não passo de uma hipócrita. A minha abilidade em fingir consegue enganá-las, mas eu não me curei: penso em ti, te amo, te quero, te desejo, como antes, mais do que antes." (Heloísa)

Com este grau de hipocrisia se via o prazer sexual na idade medieval. Não mudou muito: aceite qualquer direcionamento religioso e líderes carismáticos tentarão invadir até mesmo a sua alcova com preceitos impraticáveis, acompanhados de um deus furiozo a cobrar pureza e dízimos de seus profitentes.
Destinados ao inferno estão homossexuais e casais que copularam antes do casamento.
Mas como escreveu Heloísa: ("...no fundo não passo de uma hipócrita. A minha abilidade em fingir consegue enganá-las.") Não passam de hipócritas. A abilidade deles em fingir consegue enganar a muitos.

"Fujo para longe de ti,
evitando-te como a um inimigo,
mas incessantemente
te procuro em meu pensamento.
Trago tua imagem em minha memória
e assim me traio e contradigo,
eu te odeio, eu te amo."
(Carta de Abelardo a Heloísa. )

"É certo que quanto maior é a
causa da dor, maior se faz
a necessidade de para ela
encontrar consolo, e este
ninguém pode me dar, além de ti.
Tu és a causa de minha pena,
e só tu podes me proporcionar conforto.
Só tu tens o poder de me entristecer,
de me fazer feliz ou trazer consolo."
(Carta de Heloísa a Abelardo)