quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Reeditando o poema "A Meretriz"



Era uma meretriz na estrada
Ataviada, bonita, perfumada.
Tu me acenaste com um saquinho de moedas.
Negócio aceito, compraste meu corpo
Na estalagem de luxo
Deitei-me nua sobre teu corpo lindo de homem.
Com sede, chupei ávida teu membro
Como nenhuma mulher antes te fez.
Cavalguei teu penis como uma amazona sobre um corcel
Rebolados violentos de meretriz
Cadela!!!! Tu gritaste.
Cadela não, loba !!!! no cio
Para te devorar - sou loba
Meretriz, com sede de suor e esperma.
Tu me penetras com teu membro
Eu te penetro com meu olhar
Tenho agora minhas garras em ti.
Tu compraste meu corpo, mas eu roubei tua alma.
Tenta fugir! porta fechada, chave perdida!
Escravo meu agora tu és - do sexo !!!
Não viste com quem te meteste?
Com Padilha, a rainha pomba-gira! Logo com quem!
Só Deus pode agora te libertar, mas Ele não quer - e nem tu mesmo queres.
Tua mulher loba te devora todo, meu homem-animal.
Meu corpo suga até a última gota do teu esperma
E se banha no orvalho do teu suor
O dia amanhece e adormecemos abraçados - nús
Cansados de tanto gozar.

2 comentários:

  1. Eu tarada?

    Olha só quem fala....afff

    Ate que enfim textos eróticos em mulher?

    Vamos botar fogo neste blog...

    rsrsrsr

    Beijos linda...tava com saudades

    Eclipse

    ResponderExcluir
  2. nossa muito bom seu blog um abraço
    passa no meu também
    dalton rocha
    adoro poemas eroticos

    ResponderExcluir