quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Um poema da amiga "lu Dri"


Minha doce menina
Tua boca me alicia
Me enfeitiça me domina
Me entrego aos teus desejos
Te devoro por inteira
Me perco em teu corpo
Tão quente....delicioso
Me embriago em teu mel
Provo do teu veneno
Mas não quero antídoto
Quero morrer nos teus braços
Sentir o teu cansaço
E teus seios salientes em minha pele
Deixe-me afogar nos teus delirios
Nos teus beijos
Beber de tua fonte
Tão abundante e infame
Me tirando do sério
Me escravizando em tuas paixões
Não quero fugir deste cárcere
Me prendeste no laço de tua torre
Onde tu tens teu Imperio
E nele reinas absoluta....
Minha rainha....

Dri

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Garota de programa


Meus pés não tinham um rumo
- vagueavam vagabundos.
Minha alma não tinha um prumo
- volúvel, vazia, flutuava
Meu corpo não tinha dono
- eu mesma não o possuía.
Mas tinha um preço.
E carregado pelas ondas da aventura
Era navio perdido, sem porto – meu corpo!
...e afundava em alcovas estranhas.
Meus seios conheceram bocas estrangeiras;
Meus lábios beijaram corpos desconhecidos;
Minha boca chupou falos de estranhos;
Mãos estranhas me apalparam;
Clientes me procuraram e me tiveram;
Homens vieram e por mim passaram;
Seres que jamais tornarei a ver.

Quando garota, o mar lambia meus pés,
Voltando agora ao local dos meus dezoito anos,
Piso a areia e o mar, reencontrando-me, vem novamente me beijar.
Mas ele não me paga por isso,
Eu que deveria retribuí-lo com meus carinhos.
Mas ele não pede.

Gemidos de prazer - neste momento - não vibram em meus ouvidos.
Agora é o silvar do vento na praia,

Por onde andou e por anda a antiga prostitutazinha.

...finalmente dona do próprio corpo,
Retorna ao lar,

Repousando na alcova das fantasias mortas da juventude.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Um poema de Safo (Sapho)





A uma mulher amada

Ditosa que ao teu lado só por ti suspiro!
Quem goza o prazer de te escutar,
quem vê, às vezes, teu doce sorriso.
Nem os deuses felizes o podem igualar.

Sinto um fogo sutil correr de veia em veia
por minha carne, ó suave bem querida,
e no transporte doce que a minha alma enleia
eu sinto asperamente a voz emudecida.

Uma nuvem confusa me enevoa o olhar.
Não ouço mais. Eu caio num langor supremo;
E pálida e perdida e febril e sem ar,
um frêmito me abala... eu quase morro... eu tremo.

Safo
Trad. Décio Pignatari

Safo (em grego: Σαπφώ, transl. Sapphō) foi uma poetisa grega que viveu na cidade lésbia de Mitilene, ativo centro cultural no século VII a.C.. Nascida algures entre 630 e 612 a.C., foi muito respeitada e apreciada durante a Antigüidade, sendo considerada "a décima musa". No entanto, sua poesia, devido ao conteúdo erótico, sofreu censura na Idade Média por parte dos monges copistas, e o que restou de sua obra foram escassos fragmentos. (Wikipedia)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O catecismo de Carlos Zéfiro


"Carlos Zéfiro é o pseudônimo do funcionário público brasileiro Alcides Aguiar Caminha com o qual ilustrou e publicou, durante as décadas de 50 a 70, histórias em quadrinhos de cunho erótico que ficaram conhecidas por "catecismos".
Carioca boêmio, ilustrou e vendeu cerca de 500 trabalhos desenhados em preto e branco com tamanho de 1/4 de folha ofício e de 24 a 32 páginas que eram vendidos dissimuladamente em bancas de jornais, devido ao seu conteúdo porno-erótico, ficando conhecidos como "catecismos" e chegaram a tiragens de 30.000 exemplares.
Em 1970, durante a ditadura militar, foi realizada em Brasília uma investigação para descobrir o autor daquelas obras pornográficas que chegou a prender por três dias o editor Hélio Brandão, amigo do artista, mas que terminou inconclusa."
(Wikipedia)




No quarto











domingo, 6 de dezembro de 2009

O mal era fêmea, no Brasil do século 19.

A mulher era o disfarce do diabo no século 19, faceiras e hipnotizadoras, levavam os homens à perdição, à luxúria.
Malvadas!!!!!!
Raul Pompeia ironiza a fé igrejista no seu romance "O Ateneu".





“Comecei a achar a religião de insuportável melancolia. Morte certa, hora incerta, inferno para sempre, juízo rigoroso; nada mais negro!
(...)
Soavam-me ainda aos ouvidos as prédicas de ascetismo do Barreto. Para ele o mal era fêmea. O Sanches entendia que era macho. Amarrava-lhe um rabo ao cóccix e criava o Satanás bilontra, imoral e alegre. A cauda do demônio do Barreto era de rendas. Na Rua do Ouvidor, faria o Satanás – fanfreluche. Uma coisa horrível, com dois olhos, destinados a perdição dos homens. Saia digna de consideração, só a de padre, que, por sinal, é batina, não é saia. O mais não passava de pretexto da moda parisiense para disfarçar o pé de cabra. Cuidado com Satanás sorriso! um sorriso com duas pernas, um abraço com dois seios, uma pantomima do inferno, faceira, traidora, graciosa e comburente... O menor descuido, desgraça eterna!
Contou-me que o porteiro do seminário em que estivera, para não ser demitido, fora intimado a separar-se da própria irmã. Deus, para vir ao mundo, tinha severamente elaborado o mistério excepcional de uma virgindade sem mancha. E, se não fossem as profecias, que não podiam ficar comprometidas, o veículo a Conceição, por amor da insexual pureza, teria sido o carapina José, ou mesmo o velho Zacarias, ainda mais respeitável pela calva.
A teologia do Barreto me calara fundo, e eu resolvera piedoso enxotar quanta imagem de sorriso viesse pousar-me à idéia. Virando a página dos fervores, a teoria ficou-me de resto, do Satanás feminino.”
(O Ateneu – cap. 05 de Raul Pompéia

sábado, 21 de novembro de 2009

Homenagem à Rainha


Sou Espírito e sou matéria.
- me completo na matéria!
Sou Sucubos, sou invasora.
Sou a rainha Pomba Gira.
Sou o anjo da sedução e da luxúria.
Sou mulher e sou deusa.
Tenho o prazer da carne no espírito!
(...enquanto você tem o espírito mergulhado no prazer da carne)
Venha ter comigo também.
Venha conhecer meu espírito e minha matéria.
Venhar se banhar no meu suor.
...se recarregar em minha energia
...me conhecer...
Sussurre meu nome em seu quarto.
...grite meu nome em sua alma!
Eu sou Padilha, Maria eu sou!
Maria Padilha !!!!!!!!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Reeditando o poema "A Meretriz"



Era uma meretriz na estrada
Ataviada, bonita, perfumada.
Tu me acenaste com um saquinho de moedas.
Negócio aceito, compraste meu corpo
Na estalagem de luxo
Deitei-me nua sobre teu corpo lindo de homem.
Com sede, chupei ávida teu membro
Como nenhuma mulher antes te fez.
Cavalguei teu penis como uma amazona sobre um corcel
Rebolados violentos de meretriz
Cadela!!!! Tu gritaste.
Cadela não, loba !!!! no cio
Para te devorar - sou loba
Meretriz, com sede de suor e esperma.
Tu me penetras com teu membro
Eu te penetro com meu olhar
Tenho agora minhas garras em ti.
Tu compraste meu corpo, mas eu roubei tua alma.
Tenta fugir! porta fechada, chave perdida!
Escravo meu agora tu és - do sexo !!!
Não viste com quem te meteste?
Com Padilha, a rainha pomba-gira! Logo com quem!
Só Deus pode agora te libertar, mas Ele não quer - e nem tu mesmo queres.
Tua mulher loba te devora todo, meu homem-animal.
Meu corpo suga até a última gota do teu esperma
E se banha no orvalho do teu suor
O dia amanhece e adormecemos abraçados - nús
Cansados de tanto gozar.

domingo, 8 de novembro de 2009

Brega ou Rockeira - qual tipo de garota de programa você procuraria.

Culturalmente a prostituta é associada à música mais maliciosa, romantica, brega... Que tal uma prostituta com jeito de Rockeira maldita?
Você faria um programa com ela?

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Outra de puritanismo

A capa do album "Force it" (1975) da banda inglesa UFO:

Nos Estados Unidos foi lançada assim:

Não tem nem graça !!!!!!!!!!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O trabalho "sujo" do AC/DC

" Dirt deeds done dirt cheap" (Trabalho sujo por pouco dinheiro).
Todo trabalho é dígno, inclusive o trabalho de um(a) profissional do sexo?
Na capa do terceiro album da grande banda australiana AC/DC, um Office-boy, um policial, uma enfermeira, uma professora... todos aparecem com uma tarja preta cobrindo os olhos, como nos correios sexuais de revistas eróticas.
Todos eles trabalham muito por pouco dinheiro.
...e na letra da canção título, um profissional do sexo faz propaganda dos seus préstimos.
Quando a banda veio para o primeiro Rock in Rio, em 1985, eles tinham o rótulo de heavy metal, com seu Rock cru, riffs distorcidos, voz aguda e rouca... Mas a filosofia deles sempre foi bem Punk.

Atenção paulistas, ele tá chegando!!!!!!


quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Puritanismo à toda prova

Nos bons tempos dos velhos vinys, o LP solo de Roger waters (baixista do Pink Floyd) "Hitchhiking", foi lançado com a foto de uma garota loira nua, na capa. No relançamento em CD do histórico album, alguem teve a brilhante, genial ideia, de cobrir a bunda da loirinha com uma tarja preta, como se fosse remédio anti-depressivo de controle médico rigoroso. O resultado foi desastroso: Ridículo exemplo de puritanismo!!!!!! Dígno da hipocrisia protestante americana.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Treis piadinhas infames de Chapeuzinho Vermelho


Chapeuzinho vermelho chegou na casa da vovó e a flagrou na cama com o lobo mau: vovozinha totalmente nua, em cima do lobo, cavalgando o maranhão do bicho.
Chapeuzinho, toda espantada, arregalou os olhos e falou alto:
"Vovô, que putaria é essa?
"Pois é minha netinha, de acordo com a estória, você chegaria e já me encontraria comida pelo lobão; mas o negócio estava tão bom que a gente demorou e não deu tempo: ainda estamos assim!"

Outra:
O lobo mau, doido pra molhar o biscoito (já tinha tocado umas treis punhetas!) encontrou Chapeuzinho vermelho andando na estrada do bosque. Toda folgosa, livre e solta, com a cara mais safada, e cantando uma musiquinha nojenta de duplo sentido, lá ía Chapeuzinho Vermelho.
O lobo, taradão, e achando que ela ainda fosse virgem, puxou conversa:
"Chapeuzino, para onde você vai?"
"Vou pra casa da minha vovó levar essa cesta de frutas!"
"Vai é? mas antes de você chegar lá, vou comer uma coisa sua que ninguém nunca comeu!"
"Olhe seu lobo, só se for a cesta, porque outra coisa, o primo, o tio, o professor, o vendedor de pizza, o vizinho... já comeram antes de você".

Outra:
O caçador foi na casa da vovó de chapeuzinho salvar as duas - vovó e Chapeuzinho - do lobo mau, que queria comê-las. Lá chegando, encontrou os treis - lobo mau, Chapeuzinho e vovó - na maior suruba. Chapeuzinho, completamente nua nos braços do lobo, olhou para o caçador e disse:
"Demorou hein? agora é tarde, o bicho já está nos comendo, agora pendure a roupa naquele cabide e venha você também!"

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

No pais das maravilhas.


http://freakshowbusiness.com/2008/09/12/as-piores-capas-de-disco-alice-no-pais-das-maravilhas/

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Mensagem da filha do papa do neo-pentecostalismo.

O que está escrito abaixo é uma mensagem da filha de Edir Macedo - o papa neo-pentecostal:
(P: É pecado fazer sexo antes do casamento? Estou namorando com um rapaz e sempre que tocamos nesse assunto eu digo que só quando casarmos mas não sei mais o que falar.

R: É pecado sim amiga, a palavra de Deus nos ensina que sexo é algo para ser desfrutado somente depois do casamento. Se o seu namorado não entende e não respeita isso é porque ele não vive de acordo com os princípios de Deus correto? Sendo assim você deve reavaliar se vale a pena realmente continuar nesse relacionamento, Deus disse que a luz não combina com as trevas, nem o que é de Deus com o incrédulo. Então cabe a você decidir, vale a pena jogar fora a sua salvação e ir pro inferno por causa dos desejos do seu namorado?)
------------------------------------
Vejam: o obscurantismo medieval, a religião castradora e inbecilizadora resurge com toda força! Isto separa casais e destroi casamentos.
Deus condenará seus filhos à penas eternas apenas porque copularam antes de qualquer vínculo matrimonial? Só canalhas neo-pentecostais para pregar uma merda dessa! Enquanto isso Edir, com sua corja nojenta, se torna cada vez mais poderoso fazendo uso desse cristianismo vagabundo e mentiroso.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Back in time


Domingo passado fui sozinha visitar os dois bairros dos meus tempos de menina. Muitos prédios foram acrescentados em Piedade, mas Candeias ainda parece a mesma de 20 anos atrás. Andei pela praia. Parei num bar e tomei uma caipirosca enquanto olhava o mar e lembrava os dias de escola e LPs de Rock quando lá morei e por essas praias eu caminhava. Uma brisa gostosa acariciava meu rosto e meus cabelos. Passei por um local onde me reunia com amigos para assistir fitas de shows de Rock (naquele tempo ainda era video-cassete, não havia ainda DVD) - lembro bem de uma noite na qual assisti a um show do Black Sabbath com Ozzy Osborne cantando.

O espírito de Claudia ainda passeia por suas ruas antigas e inesquecíveis!!! Caso alguns de vocês venham visitar Recife/Jaboatão, se passarem pelas praias de Candeias e Piedade, talvez se deparem com o fantasma melancólico da antiga Claudinha: uma jovem morena, cabelos longos, bermuda de jeans curta, uma bolsa hippie pendurada no ombro direito, um copo de caipirinha, ou vinho, na mão direita e o olhar perdido no horizonte do oceano atlântico.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

E-mail de uma amiga - sonho lésbico (Homenagem à Sapho)

Naquela tarde te desejei...

Sempre me imaginei como uma mulher que é hetero....vivendo minha vida “normal” como todo mundo...
Mas depois de vencer uma sexualidade reprimida através de uma amiga...que foi me mostrando a importância de realizarmos nossas fantasias...vencendo também tabus e preconceitos...comecei a perceber que tinha muitas fantasias inclusive com ela...pois é...o feitiço virou contra o feiticeiro...
Em uma das tardes que fui à casa dela..ficamos muito tempo vendo imagens sensuais para montarmos nosso sonho de consumo que era ter um blog onde pudéssemos expor nossas poesias...
Como foi difícil me manter ao lado dela sem tocar...sentia seu perfume tão próximo...e seus lábios tão provocantes sorrindo para mim...
Dentro do decote percebia seus seios... me atiçavam ainda mais ....
Me via beijando-os e mordiscando-os em minha boca...
Estava toda molhada de desejo do seu cheiro...da sua pele....
Entre aquelas pernas minha perdição...tão rosa e deliciosa...nunca tinha tocado nenhuma mulher...sempre tive e tenho atração fortíssima por homem...mas ela...me tirava a sanidade...
Não resisti, já sabia que me atentava a tempo...puxei-a contra mim e beijei seus lábios com loucura e paixão...queria devora-la inteira...
Que delicia aquela boca...a principio se fez de surpresa ...mas não fugiu...correspondeu a minhas caricias....
Então nos envolvemos num frenesi incontrolável...tirando nossas roupas..enquanto as bocas se engoliam...
Passei minha boca por aquele corpo... suas curvas...seus montes alvos ....até chegar entre suas pernas e suguei como nunca havia feito...ela gemia e pedia para brincar com os dedos em sua vagina....quente molhada...
Seu clitóris duro....eu chupava ...e ela enlouquecia de prazer...
Foi a primeira vez que gozou em minha boca...depois com olhar de matadora....pulou sobre meu corpo...e sem pestanejar passou a me sugar...parecia um sonho...eu não queria acordar...
Senti uma explosão...e gemi sem pudor....ficamos depois assim...
Em silêncio...para que palavras? Sabíamos que tudo aquilo era inevitável....
Foi uma experiência nova e fantástica...percebi que sempre tive vontades e sexualidade à flor da pele...

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Poema para Afrodite.

Enquanto a esperava, na sala de estar os minutos voavam, e apenas velhos discos long-playing, com sua canções e seus estalos, me fizeram companhia, porque meus pensamentos eram um pássaro nos limites estreitos de minha imaginação sem voos.
Dos discos a música se insinuava com a volúpia das amantes, mas no quarto, a cama forrada ainda a esperava em corpo e alma, enquanto violinos, cellos e sopros ecoavam nas paredes de minha ansiedade.
Ouvi um abrir de trinco, mas apenas a brisa entrou pela janela, agitou as folhas de uma planta, sussurou uma canção antiga... e o sol, reaparecendo entre as nuvens, pulou pela janela, iluminou e aqueceu minh'alma.
Mas eu ainda a esperava, entre o tick-tack do relógio e os estalos da agulha no vinil.
E a esperei por uma tarde, e quando ela voltou, já então a lua vigiava o cotidiano vulgar dos homens; e seu clarão me visitou, entrou com ela, como se também quisesse ouvir as canções e os estalos.
E quando ela entrou, foi como se a brisa, o sol, a lua, reunidos me viessem fazer festa.
E ecoando entre nossas paredes, a musica de sua voz, os violinos, cellos e sopros silenciaram-se respeitosos, porque, ela, a deidade, trouxe a melodia dos astros para dentro do lar.
E numa oblação de amor e prazer, essa deusa me cobriu com suas asas, plenas de carinho e conforto, fazendo-me provar um orgasmo que apenas uma deusa pode proporcionar a um mortal.
...e adormeci cansado de gozo no regaço acolhedor de seu corpo.